quarta-feira, 18 de janeiro de 2012




Para Sempre

E vem a poesia...
Vem fazer valer apena o doce inverno
Esquentando o sangue, inflamando o desejo.
O que era frio já não mais existe.
Os olhares se esbarram e as bocas se aproximam.
Convergem dois mundos a partir de um beijo.
O prazer inflama o acontecimento.
O fervor de dois corpos entrelaçados torna tudo único.
As coisas efêmeras são eternizadas na memória.
O inverno se vai e as lembranças ficam.
O amor transforma tudo em poesia, para sempre.

3 comentários: